Arquivo da tag: meio ambiente

Floração do Jardim Botânico do Rio de Janeiro

Amherstia nobilisDescobri um trabalho muito legal da paisagista e também diretora da Associação de Amigos do Jardim Botânico do Rio de Janeiro, Cecília Beatriz da Veiga Soares: todo mês ela e o fotógrafo João Quental percorrem durante uma manhã o arboreto do Jardim Botânico para localizar, identificar e registrar a floração do Jardim. O resultado pode ser comprovado no mapa da floração, vendido na associação e na página http://www.amigosjb.org.br/categoria/floracao/.

Blog Árvores Cariocas

banner-arvores-cariocasNas minhas pesquisas sobre vegetação nativa da cidade do Rio de Janeiro achei um blog muito legal! Ele trata das Árvores Cariocas: as nativas e as exóticas de uma forma quase poética! Não é a toa… a autora do blog, Ivete Farah, também é autora do livro Poética das Árvores Urbanas, publicado em 2008 pela Mauad/Faperj.
http://arvorescariocas.blogspot.com.br/

Post do blog “Árvores de São Paulo”

Recebi um email hoje com o novo post “A fragilidade da metrópole perante o verde” do blog “Árvores de São Paulo” de Ricardo Cardim.

Você conhece o Ricardo Cardim? Ele é Botânico e ambientalista em São Paulo e apresenta um programa na Rádio Estadão, sobre Natureza Urbana, árvores centenárias, espaços verdes públicos e dá dicas para cuidar da natureza em casa além de escrever o blog citado.

No post, Ricardo comenta sobre a fragilidade da cidade frente a força da Natureza na retomada de seus espaços abandonados.
Veja em: http://arvoresdesaopaulo.wordpress.com/2014/04/28/a-fragilidade-da-metropole-perante-o-verde/

No fim do artigo, existe um link para um vídeo em que Ricardo mostra locais da metrópole de São Paulo em que a natureza ressurge em meio ao concreto num fenômeno conhecido como secessão ecológica.

Veja o vídeo em http://veja.abril.com.br/multimidia/video/sp-flora-reconquista-seu-espaco

Escute alguns áudios da coluna de Ricardo na rádio Estadão em http://radio.estadao.com.br/busca/ricardo%20cardim

Avenida Santo Amaro perde sua árvore gigante, a falsa-seringueira, que foi cortada pelo Metrô

Gente, eu fiquei impressionada! Em uma época que estamos atingindo um estágio elevado de conscientização da importância da preservação do meio ambiente, principalmente dentro das nossas cidades e principalmente dentro da cidade de São Paulo, uma cidade carente de verde, a gente se depara com uma notícia dessas!!!

Nem precisava da pressão popular e do Movimento Seringueira Livre no Facebook para evitar que isso acontecesse. Não precisava! Mas aconteceu!

Abaixo as fotos da matéria do blog Árvores de São Paulo, da ação do Metrô de corte da enorme falsa-seringueira (Ficus elastica – Moraceae, espécie originária da Ásia) que vivia há pelo menos seis décadas no canteiro central da Avenida Santo Amaro perto do cruzamento com a Avenida Roberto Marinho (antigo córrego das Águas Espraiadas).

Caminho da destruição em fotos de Estela Carvalho e Elisa Quartim
Em 2010, com sua copa impressionante em foto do fotógrafo Jan Van Bodegraven

E eu concordo com a matéria quando diz que alegar que a árvore não era uma espécie nativa é absurdo!

Leia a matéria completa em http://arvoresdesaopaulo.wordpress.com/2013/10/04/avenida-santo-amaro-perde-sua-arvore-gigante-a-falsa-seringueira-que-foi-cortada-pelo-metro/?blogsub=confirming#blog_subscription-3

Dia da Árvore

arvoreOntem foi o dia da árvore e eu estava pesquisando algum projeto interessante sobre reflorestamento aqui no Rio de Janeiro que pudesse dar um bom significado ao dia. Achei no site da Secretaria de Estado do Ambiente (SEA), no menu lateral um link para o Contador de Árvores da Mata Atlântica.

Esse contador é um projeto da Secretaria que mobiliza parcerias, incentiva ações de reflorestamento, monitora, contabiliza e divulga o número total de mudas de árvores comprovadamente plantadas, para que seja cumprido o compromisso olímpico – dos governos federal, estadual e municipal do Rio – de plantar, em princípio, 24 milhões de mudas para compensar as emissões de gases-estufa durante os jogos de 2016, ou seja, um projeto legal. (em http://www.rj.gov.br/web/sea/exibeconteudo?article-id=164540)

Aí descobri no site do Instituto Estadual do Ambiente, que na última sexta-feira, dia 20 de setembro, foi inaugurado um painel eletrônico no Jardim Botânico do Rio de Janeiro para a população acompanhar a evolução do plantio dessas mudas. Esse painel funciona em paralelo a site interativo. Dados como os responsáveis pelo plantio, as mudas de Mata Atlântica, o município e a dimensão da área florestada estão agora disponibilizados de forma transparente.

Além de compensar as emissões de gases-estufa a serem produzidas durante as Olimpíadas do Rio, as áreas reflorestadas conectarão fragmentos de Mata Atlântica em vários pontos do estado, reforçando assim a biodiversidade fluminense.

Segundo o secretário estadual do Ambiente, Carlos Minc, que participou da cerimônia, em dez anos, o Estado do Rio passou de maior desmatador da Mata Atlântica para o estado com desmatamento praticamente zero e com ações de plantio 20 vezes maiores. O objetivo da secretaria é dobrar a área de Mata Atlântica aqui no estado.

Desde a criação do programa Contador de Árvores, em 2009, já foram plantadas 5,5 milhões de mudas de árvores na Mata Atlântica no Rio de Janeiro, por empresas, ONGs e sociedade civil. (em http://www.inea.rj.gov.br/noticias/noticia_dinamica1.asp?id_noticia=2408)

A ONG SOS Mata Atlântica também tem projeto de plantio de mudas, como o Clickarvore (em http://www.sosma.org.br/projeto/clickarvore/) e o Programa Florestas do Futuro (em http://www.sosma.org.br/projeto/florestas-futuro/o-que-e/). Esses projetos abrangem diversos estados. E existem outros tantos projetos como esses.

Bom, estamos recuperando a Mata Atlântica! E essa é uma excelente notícia para o dia da Árvore!

Eu só gostaria de pontuar que as ruas do Rio também carecem de árvores! Existem ruas enormes que contam com quase nenhuma vegetação, intensificando o efeito ilha de calor urbana, ou seja, precisamos urgente de um bom programa de arborização das vias publicas cariocas!

Laboratório de Eficiência Energética em Edificações :: Palestra e apostilas

folha

Achei uma Palestra on-line gratuita muito interessante (tipo vídeo aula) produzida pelo LabEEE sobre a  Etiquetagem de Eficiência Energética de Edificações Comerciais, de Serviços ou Públicas (RTQ-C) do programa brasileiro de etiquetagem (PBE) do INMETRO. Você pode assistí-la aqui: http://www.labeee.ufsc.br/sites/default/files/palestra/aula.htm

Também no site deles, achei muito material sobre Desempenho térmico aqui: http://www.labeee.ufsc.br/ensino/graduacao/ecv5161

Destaque para a apostila elaborada pelo professor da UFSC Roberto Lamberts: http://www.labeee.ufsc.br/sites/default/files/disciplinas/ECV5161-Apostila-v2011.pdf

(A divulgação dos links acima foi autorizada pelo LabEEE).

CAU/RJ vai debater a urbanização do Centro

O Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Rio de Janeiro (CAU/RJ) vai promover a mesa-redonda sobre “ALTERAÇÃO VIÁRIA NO CENTRO DO RIO E SEUS IMPACTOS URBANÍSTICOS”. 

Serão discutidos os projetos de intervenção urbana para o Centro do Rio, como o Porto Maravilha, o fechamento Av. Rio Branco, implantação do VLT, Transbrasil, entre outros, com foco nos aspectos de mobilidade, transporte, trânsito e qualidade ambiental e urbana. O evento terá como palestrante o Conselheiro Carlos Fernando Andrade.

Quando: 30 de abril às 14:00hs

Onde: na sede do Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Rio de Janeiro, Rua Evaristo da Veiga, 55/21º – Centro.

Inscrições abertas através de email [email protected], vagas limitadas.

Veja a notícia em http://www.caurj.org.br/?p=5687

Nota do dia 08/05/13:

Estive presente no evento. O debate iniciou com a palestra do conselheiro do CAU/RJ, Carlos Fernando de Souza Leão Andrade, que alertou sobre a necessidade dos Arquitetos de conhecer e discutir os projetos aprovados para  execução do BRT, do fechamento da Avenida Rio Branco e dos projetos para o porto. Para ele, a comunidade de arquitetos, através de suas inúmeras entidades deve conhecer e fazer parte das decisões das alterações da cidade.

O presidente do CAU/RJ, Sydnei Menezes, se comprometeu a enviar ofícios para a Prefeitura da cidade para que os projetos sejam apresentados e possam ser debatidos pelos profissionais da área. Todos os arquitetos presentes no debate concordaram com a iniciativa do CAU RJ.

Sydnei Menezes também se comprometeu através de nota publicada no site do CAU/RJ, a fazer novas convocações dos profissionais para discussões de temas para a cidade. Fiquem atentos!

Veja nota do CAU em http://www.caurj.org.br/?p=6056

 

Construtoras investem em mapeamento sonoro para garantir desempenho acústico das construções :: PINI

A expansão dos grandes centros urbanos brasileiros tem sido acompanhada do adensamento populacional e do crescimento do fluxo de veículos. O resultado é o aumento dos ruídos gerados em ruas e avenidas, que começam a chamar a atenção das construtoras, preocupadas com o atendimento das exigências de conforto acústico da Norma de Desempenho para edifícios habitacionais (NBR 15.575).

Continue lendo em PINIweb.com.br | Construtoras investem em mapeamento sonoro para garantir desempenho acústico das construções | Construção Civil, Engenharia Civil, Arquitetura.

USP cria centro de pesquisas sobre desastres naturais :: PINI

Iniciativa da Superintendência de Relações Institucionais da universidade, o projeto tem como objetivo geral reunir todo o conhecimento produzido pela entidade e disseminá-lo a fim de prevenir e, futuramente, mitigar desastres naturais.

PINIweb.com.br | USP cria centro de pesquisas sobre desastres naturais