As plantas e o ar que respiramos

Dentro de nossas residências existem poluentes que nos fazem mal, e nem sempre percebemos. Eles estão nas tintas e vernizes, madeiras, tecidos, papéis, produtos de limpeza que usamos, plásticos, fumaça do cigarro, partículas que entram pela janela se moramos perto de vias de muito movimento, e muitos outros. Num apartamento recém reformado, muitos desses poluentes são liberados durante meses dos materiais de acabamento que acabamos de usar. O cheirinho de apartamento novo contém compostos orgânicos voláteis, formaldeídos, etc, substâncias altamente nocivas a nossa saúde.

Esses poluentes nos trazem dores de cabeça, tontura, irritação no nariz, olhos e pele, problemas respiratórios, alergias, e problemas ainda mais graves se acumulados no organismo.

Existem diversos artigos circulando pela internet sobre estudos da NASA dizendo que certas espécies de plantas filtram e retiram esses poluentes do ar de nossos ambientes internos. Cito pelo menos dois: Esse primeiro em http://bit.ly/2rnfl0r, dá ênfase ás substâncias poluentes danosas à saúde humana e mostra as espécies de plantas estudadas pela NASA que são mais eficientes no combate a esses poluentes. Esse outro em http://bit.ly/2qsMSpP, também enfatiza as espécies de plantas ideias e acrescenta que a habilidade da planta de remover a poluição aumenta com o acréscimo de carvão ativado à terra do vaso.

Conversando com meu marido sobre esse assunto, achamos um site de um canadense apaixonado por plantas, que contesta esses artigos (o material está em inglês e pode ser lido em http://bit.ly/2dykJsm). Nesse artigo, o autor aponta que não há nada nesse estudo da NASA que comprove ou afirme que as plantas purificam o ar interior. Na verdade, o estudo diz que seriam necessárias 3 plantas bem volumosas em um metro quadrado de ambiente para remover apenas uma parte de alguns dos poluentes citados nesses artigos, sendo que 3 plantas grandes podem ocupar mais do que 1m2. Segundo o canadense, o estudo da NASA aponta que os micro-organismos do solo e a presença de carvão ativado no vaso influenciaria mais na remoção dos poluentes do que as plantas propriamente ditas. O estudo da NASA pode ser lido em https://go.nasa.gov/2elRVnv.

Bom, sem querer entrar nos méritos citados, sabemos que a presença de plantas dentro de casa, traz beleza, bem-estar e vida ao ambiente. Quando estamos perto de plantas, temos a sensação de estar num ambiente mais natural e saudável. Plantas são sempre bem vindas!

Minha preocupação na verdade, é que esses artigos citam espécies que em sua maioria, se não todas, são exóticas ao nosso país, ou seja, não fazem parte da nossa flora nativa. Algumas plantas exóticas trazem impactos a nossa biodiversidade, principalmente as consideradas como invasoras. E na verdade, em termos de algumas plantas, o tamanho e a quantidade é mais importante do que determinar que uma espécie é melhor do que outra. Nossas plantas nativas também possuem as mesmas habilidades que as exóticas, mas com a grande vantagem de manter a nossa biodiversidade e proporcionar alimentação própria para a fauna local, inclusive para insetos que ajudam no controle das pragas. Essas plantas nativas quando usados em paisagismo externo, se adequam mais facilmente ao regime de chuvas da região, diminuindo o consumo de água potável para irrigação. Outro grande benefício do uso de plantas nativas é colocar as pessoas em contato com a natureza original da região em que habitam, o que muitas delas desconhecem.

Aqui na Mata Atlântica do Rio de Janeiro, nosso bioma nativo, temos uma grande variedade de palmeiras, samambaias, filodendros, marantas, bromélias, etc. Com certeza, elas também irão cumprir um papel importante em nossas residências!

Quanto à qualidade do ar interior, o ideal é saber escolher o que entra em nossa residência. Durante uma reforma, por exemplo, um bom profissional vai estar atento aos materiais de construções que comporão o projeto, justamente para evitar a poluição do ar interior nos meses seguintes. Outra questão importante é escolher bem os produtos que serão usados na limpeza da casa, evitando os que contenham substâncias tóxicas. A ventilação natural é a melhor solução e aliada para renovação do oxigênio e a remoção de poluentes do ar. Ou seja, mantenha sua casa sempre arejada!
Conheçam minha pasta no Pinterest com algumas espécies de plantas nativas do estado do Rio de Janeiro que podem e devem ser usadas no nosso Paisagismo. Essa pasta pode ser acessada em https://br.pinterest.com/…/paisagismo-nativo-do-rio-de-jan…/

Fotos de espécies nativas do estado do Rio de Janeiro: JBRJ – Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro. Jabot – Banco de Dados da Flora Brasileira. Disponível em: [http://jabot.jbrj.gov.br/]. Acesso em 16/05/2017.
01 – Babosa de árvore (Philodendron martianum)
02 – Banana de imbê (Philodendron bipinnatifidum)
03 – Guaimbê da folha ondulada (Philodendron undulatum)
04 – Lírio da Paz (Spathiphyllum cannifolium)
05 – Maranta bicolor
06 – Bromélia (Vriesea carinata)

Mônica Fischer
Arquiteta e Paisagista
Especialista em Construções Sustentáveis
Consultora GBC Brasil Casa
mf@arquilog.com.br
(21) 99159-7817

Salvar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *