LEED – Versão 4

Nome da Certificação: LEED
Origem:Estados Unidos
Certificadora: USGBC – United States Grenn Building Council
Tipos de empreendimentos: Novas construções, grandes reformas, reforma de envoltória e áreas comuns de edificações existentes, operação e manutenção de edificações existentes, escolas, lojas de varejo, hospitais, hotéis, centros de processamento de dados, armazéns, centros de distribuição, interiores comerciais, planejamento e construção de bairros, edificações residências.
Como obter o certificado: Para certificar um projeto junto ao USGBC deve-se inscrever o projeto na plataforma online da instituição (LEED online), pagar as taxas , cadastrar a equipe de projeto e iniciar o processo de envio de documentação que pode ser carregada diretamente no sistema (U. S. GREEN BUILDING COUNCIL, 2015). Atentar-se para os 3 requisitos mínimos da certificação LEED: a edificação deve estar localizada permanentemente em um terreno existente, a equipe deve definir limites coerentes para o projeto e cumpri com o tamanho mínimo de projeto.
Níveis de certificação: Certificado: 40-49 pontos :: Prata: 50-59 pontos :: Ouro: 60-79 pontos :: Platina: mais de 80 pontos

O LEED (em inglês, Leadership in Energy and Environmental Design, em português, Liderança em Energia e Design Ambiental) é um programa internacional de certificação de edificações verdes presente em diversos países através do USGBC que reconhece as melhores práticas e estratégias de construção, incentivando a transformação de projetos, obras e operação das edificações com o foco na sustentabilidade. Para receber um dos selos LEED, projetos devem satisfazer pré-requisitos, ganhar pontos e alcançar diferentes níveis de certificação. Pré-requisitos e créditos são diferentes em cada sistema de classificação (rating system) e os times de projeto escolhem o que melhor couber em seu projeto (U. S. GREEN BUILDING COUNCIL, 2015).

De acordo com USGBC, edificações com certificação LEED economizam dinheiro e recursos e tem um impacto positivo no ambiente e na saúde de seus ocupantes e ainda promovem a energia renovável e limpa.

No site do órgão americano, encontramos que o LEED é um sistema flexível que pode ser aplicado em todos os tipos de projeto. Cada sistema de classificação agrupa requerimentos que atendem às necessidades específicas do tipo de construção e projeto em seu caminho para a certificação LEED. Uma vez que o time de projeto escolhe um dos sistemas de classificação, ele irá usar os créditos apropriados para guiar decisões de projetos e operações (U. S. GREEN BUILDING COUNCIL, 2015).

1 – Sistemas de classificação (Rating Systems) do LEED

Em sua quarta versão, o LEED apresenta cinco grupos de sistemas de classificação:

  • Projeto e Construção da Edificação (Building Design and Construction – LEED BD + C)
  • Projeto e Construção de Interiores (Interior Design and Construction – LEED ID + C)
  • Operação e Manutenção de Edificações (Building Operations and Maintenance – LEED O+M)
  • Desenvolvimento de Bairros (Neigborhood Development – LEED ND)
  • Casas (LEED Homes)

 

Cada grupo de sistemas de classificação atende a determinados tipos de projeto, conforme quadro abaixo:

leed-quadro01

Abaixo a descrição dos 21 sistemas de classificação resultantes do cruzamento dos grupos e tipos de projeto. O número entre parênteses no final da descrição, remete a tabela acima.

Projeto e Construção da Edificação (Building Design and Construction – LEED BD + C)

Destina-se a edificações novas ou que vão passar por uma grande reforma. Atende aos projetos de:

  • Novas Construções e Grandes Reformas (New Construction and Major Renovation)

Projetos e construções de edificações novas ou que passarão por uma grande reforma, incluindo grandes melhorias do sistema de ar-condicionado, grandes modificações de envoltória da edificação e grande recuperação do seu interior. (1)

  • Áreas Comuns e Envoltória da Edificação (Core and Shell Development)

Projetos onde o desenvolvedor controla o projeto e a construção de todo o sistema mecânico, elétrico, hidráulico e de incêndio apenas da parte comum da edificação e envoltória. (2)

  • Escolas (Schools)

Edifícios de escolas de ensino fundamental, ensino médio, ensino

  • Lojas de Varejo (Retail)

Edificações de varejo, desde bancos, restaurantes, lojas de vestuário, etc. (4)

  • Hospitalidade (Hospitality)

Edificações destinadas a hotéis, motéis, pousadas ou outros negócios dentro do setor de serviços que fornecem alojamento transitório ou de curto prazo, com ou sem alimentos. (5)

  • Centro de Processamento de Dados (Data Centers)

Edificações que comportarão equipamentos de computação de alta densidade, tais como racks de servidores de armazenamento e processamento de dados. (6)

  • Armazéns e Centros de Distribuição (Warehouses and Distribution Centers)

Edificações destinadas a armazenar mercadorias, produtos manufaturados, matérias-primas, pertences pessoais, etc. (7)

  • Saúde (Healthcare)

Edificações destinadas a hospitais que operam 24 horas por dia, sete dias por semana e oferecem tratamento médico hospitalar, incluindo os cuidados de curto e longo prazo. (8)

Projeto e Construção de Interiores (Interior Design and Construction – LEED ID + C)

Destina-se a interiores de edificações comerciais. Atende aos projetos de:

  • Lojas de Varejo (Retail)

Edificações de varejo, desde bancos, restaurantes, lojas de vestuário, etc. (9)

  • Hospitalidade (Hospitality)

Edificações destinadas a hotéis, motéis, pousadas ou outros negócios dentro do setor de serviços que fornecem alojamento transitório ou de curto prazo, com ou sem alimentos. (10)

  • Interiores Comerciais (Commercial Interiors)

Espaços interiores dedicados a outras funções diferentes do varejo ou de hospitalidade. (11)

Operação e Manutenção de Edificações (Building Operations and Maintenance – LEED O+M)

Destina-se à eficiência operacional e manutenção do edifício existente. Atende aos projetos de:

  • Escolas (Schools)

Edifícios de escolas de ensino fundamental, ensino médio, ensino superior e os edifícios não acadêmicos nos campi escolares. (12)

  • Lojas de Varejo (Retail)

Edifícios de varejo, desde bancos, restaurantes, lojas de vestuário, etc. (13)

  • Hospitalidade (Hospitality)

Edificações destinadas a hotéis, motéis, pousadas ou outros negócios dentro do setor de serviços que fornecem alojamento transitório ou de curto prazo, com ou sem alimentos. (14)

  • Centro de Processamento de Dados (Data Centers)

Edificações que comportarão equipamentos de computação de alta densidade, tais como racks de servidores de armazenamento e processamento de dados. (15)

  • Armazéns e Centros de Distribuição (Warehouses and Distribution Centers)

Edificações destinadas a armazenar mercadorias, produtos manufaturados, matérias-primas, pertences pessoais, etc. (16)

  • Edificações existentes (Existing Building)

Edificações que não possuem a função de educação, varejo, data centers, armazéns e centros de distribuição, ou hospitalidade. (17)

Desenvolvimento de Bairros (Neigborhood Development – LEED ND)

Destina-se a novos projetos de desenvolvimento do solo ou projetos de reabilitação contendo usos residenciais, usos não-residenciais, ou uso misto. Os projetos podem estar em qualquer fase do processo de desenvolvimento, desde o planejamento conceitual até a construção. Atende aos projetos:

  • Planejamento de Bairro (Plan)

Planejamento de bairros em qualquer fase de projeto ou até 75% construído. (18)

  • Bairro em construção ou construído (Built Project)

Planejamento de bairros que estão perto da conclusão, ou foram concluídos nos últimos três anos. (19)

Casas (LEED Homes)

Destina-se a edificações unifamiliares e multifamiliares de baixa ou média densidade. Atende aos projetos:

  • Casas ou edificações multifamilares de baixa densidade (Homes and Multifamily Lowrise)

Casas unifamiliares e edifícios multifamiliares de até três unidades residenciais. (20)

  • Edificações multifamiliares de média densidade (Multifamily Midrise)

Edifícios multifamiliares entre quatro e oito unidades residenciais. (21)

2 – Categorias de créditos dos sistemas de classificação do LEED

Cada sistema de classificação é constituído por créditos e pré-requisitos agrupados em categorias. Créditos são as definições de requisitos a serem atendidos para que o projeto acumule pontos para a certificação. Pré-requisitos são as condições mínimas que o projeto deve obedecer para concorrer a certificação. Caso não sejam atendidos, o projeto não poderá ser certificado (U. S. GREEN BUILDING COUNCIL, 2015).

Alguns créditos podem se tornar pré-requisitos dependendo do sistema de classificação considerado. De acordo com o material disponível no site do USGBC existem aproximadamente 175 créditos e pré-requisitos divididos nos 21 Sistemas de Classificação da versão 4 do LEED. As categorias de créditos e pré-requisitos seguem listada e descritas abaixo:

Processo Integrado (Integrative Process – IP)

Promove a integração da equipe de projetistas, construtores, clientes, usuários, operadores, entre outros, ainda na fase conceitual do projeto com o intuito de otimizar as soluções de projeto, aumentar a eficiência dos sistemas, diminuir o custo final da obra, entre outros benefícios (U. S. GREEN BUILDING COUNCIL, 2015).

Localização e Transporte (Location and transportation – LT)

Incentiva o adensamento das áreas, próximas a comércios e equipamentos públicos já estabelecidos com acesso a uma variedade de opções de transporte, ou locais com restrições de desenvolvimento (U. S. GREEN BUILDING COUNCIL, 2015).

Espaços Sustentáveis (Sustainables Sites – SS)

Considerando os grandes problemas de centros urbanos, adota estratégias que minimizam o impacto aos ecossistemas durante a implantação das edificações (U. S. GREEN BUILDING COUNCIL, 2015).

Energia e Atmosfera (Energy and Atmosphere – EA)

Promove a eficiência energética da edificação através de estratégias simples e inovadoras como simulações energéticas, medições, comissionamentos dos sistemas e o uso de equipamentos e sistemas eficientes (U. S. GREEN BUILDING COUNCIL, 2015).

Uso eficiente da Água (Water Efficiency – WE)

Promove o uso inteligente da água dentro e fora da edificação, para reduzir o consumo de água potável e criar alternativas para tratamentos e reúso dos recursos hídricos (U. S. GREEN BUILDING COUNCIL, 2015).

Materiais e Recursos (Materials and Resources – MR)

Promove o uso de matérias sustentáveis (de baixo impacto ambiental: reciclados, recicláveis, regionais, de reúso, etc.), o descarte consciente, a redução da geração de resíduos e a redução do desperdício (U. S. GREEN BUILDING COUNCIL, 2015).

Qualidade Ambiental Interna (Indoor Environmental Quality – IEQ)

Promove a qualidade do ar interior das edificações, com foco no uso de materiais com baixa emissão de compostos orgânicos voláteis, conforto térmico, etc. Esses créditos também incentivam o acesso à luz natural e as vistas externas na criação dos espaços internos da edificação (U. S. GREEN BUILDING COUNCIL, 2015).

Localização e Ligações Inteligentes (Smart Location and Linkage – SLL)

Prioriza o pedestre na criação de bairros com opções de transportes eficientes e espaços abertos (U. S. GREEN BUILDING COUNCIL, 2015).

Padrão e Projetos de Bairros (Neighborhood Pattern and Design – NPD)

Prioriza a criação de bairros de usos mistos (comercial e residencial, como também no ponto de vista social), compactos, fáceis de serem usados por pedestres e com ligações a comunidades próximas (U. S. GREEN BUILDING COUNCIL, 2015).

Infraestrutura e Edifícios Verdes (Green Infrastructure & Buildings – GIB)

Incentiva a redução dos impactos ambientais decorrentes da construção e operação de edifícios e infraestruturas (U. S. GREEN BUILDING COUNCIL, 2015).

Inovação (Innovation – I)

Promove a busca do conhecimento sobre a Sustentabilidade bem como soluções de projetos não consideradas nas demais categorias do LEED. Pontos de desempenho exemplar são atribuídos a essa categoria (U. S. GREEN BUILDING COUNCIL, 2015).

Créditos de Prioridade Regional (Regional Priority Credits – RP)

Prioriza questões regionais de acordo com diferenças ambientais, sociais e econômicas de cada país (U. S. GREEN BUILDING COUNCIL, 2015).

3 – Programas de requisitos mínimos (MPR – minimum program requirements) do LEED

O programa de requisitos mínimos engloba as características ou condições mínimas que tornam o projeto hábil à certificação LEED.
Esses requisitos são fundamentais para todos os projetos LEED e definem os tipos de edificações, espaços e bairros que os sistemas de classificação LEED (LEED Rating Systems) foram feitos para avaliar. Têm como objetivo fornecer orientações claras aos usuários, reduzir complicações que podem ocorrer durante o processo de certificação LEED e proteger a integridade do programa (U. S. GREEN BUILDING COUNCIL, 2015). Os requisitos mínimos da versão 4 estão descritos abaixo.

A edificação deve estar localizada permanentemente em um terreno existente

A intenção do LEED é avaliar edificações, espaços e bairros no contexto de seu entorno e uma significante parte de requerimentos aplicados depende da localização do projeto, então ė importante que os projetos sejam avaliados como estruturas permanentes. Inserir projetos em loteamentos existentes é importante para evitar massas artificiais de terra (aterros) que têm o potencial de deslocar e romper ecossistemas (U. S. GREEN BUILDING COUNCIL, 2015), por isso a certificação LEED não se aplica a construções que pretendem mudar de local durante o seu tempo de vida.

A edificação deve definir limites coerentes para o projeto LEED

O sistema de classificação LEED foi concebido para avaliar edifícios, espaços ou bairros, e todos os impactos ambientais associados a esses projetos. A definição de um limite coerente para o LEED garante que projeto será avaliado com precisão.
O limite do projeto LEED deve incluir todos os terrenos contíguos que estão associados com o projeto e que apoiam as suas operações típicas, isso inclui os trechos alterados como estacionamentos, calçadas, equipamentos sépticos ou tratamento de águas pluviais e paisagismo. Não se pode excluir partes do edifício ou do terreno para cumprir com os requisitos de determinados créditos (U. S. GREEN BUILDING COUNCIL, 2015).

A edificação deve cumprir com requisitos de tamanho do projeto

O sistema de classificação LEED foi concebido para avaliar edifícios, espaços ou bairros de um determinado tamanho. Todos os projetos LEED devem atender o quadro 2 abaixo de acordo com o sistema de avaliação:

leed-quadro02

4 – Pontuação e nível de certificação do LEED

Dentro de cada categoria existem pré-requisitos obrigatórios que devem ser cumpridos. Além disso, cada categoria apresenta diversos créditos de projetos com determinado número de pontos. O número de pontos que o projeto alcança (máximo de 110 pontos) é o que determina o seu nível de certificação LEED dentro dos quatro níveis possíveis, segundo o quadro 3.

leed-quadro03

Para certificar um projeto junto ao GBC deve-se inscrever o projeto na plataforma online da instituição (LEED online), pagar uma taxa conforme a relação do quadro 4, cadastrar a equipe de projeto e iniciar o processo de envio de documentação que pode ser carregada diretamente no sistema (U. S. GREEN BUILDING COUNCIL, 2015).

leed-quadro04

Antes do início do envio da documentação para análise da certificação, deve-se pagar outra taxa, de acordo com o quadro 5. Esses valores se referem a certificação Projeto e Construção da Edificação (Building Design and Construction – LEED BD + C) e Projeto e Construção de Interiores (Interior Design and Construction – LEED ID + C).

leed-quadro05

Para desenvolver o Trabalho de Conclusão de Curso do MBA de Construções Sustentáveis, a autora do blog compilou os 21 checks-lists dos Sistemas de Classificação (Rating Systemas) disponíveis no site do USBGC. O resultado foi uma relação de 175 créditos e pré-requisitos, relacionados nessa tabela.

Dentro de cada categoria, os créditos estão organizados por ordem alfabética de acordo com sua nomenclatura em inglês.

Para verificar a quais Sistemas de Classificação (Rating Systemas) o crédito ou pré-requisito pertence, siga sua linha até as colunas dos Sistemas de Classificação e verifique as colunas que estão preenchidas com a abreviatura do Sistema de Classificação.

————————————————————————–

Os benefícios da certificação LEED são:

Econômicos
  • Diminuição dos custos operacionais
  • Diminuição dos riscos regulatórios
  • Valorização do imóvel para revenda ou arrendamento
  • Aumento na velocidade de ocupação
  • Aumento da retenção
  • Modernização e menor obsolescência da edificação
Sociais
  • Melhora na segurança e priorização da saúde dos trabalhadores e ocupantes
  • Inclusão social e aumento do senso de comunidade
  • Capacitação profissional
  • Conscientização de trabalhadores e usuários
  • Aumento da produtividade do funcionário; melhora na recuperação de pacientes (em Hospitais); melhora no desempenho de alunos (em Escolas); aumento no ímpeto de compra de consumidores (em Comércios).
  • Incentivo a fornecedores com maiores responsabilidades socioambientais
  • Aumento da satisfação e bem estar dos usuários
  • Estímulo a políticas públicas de fomento a Construção Sustentável
Ambientais
  • Uso racional e redução da extração dos recursos naturais
  • Redução do consumo de água e energia
  • Implantação consciente e ordenada
  • Mitigação dos efeitos das mudanças climáticas
  • Uso de materiais e tecnologias de baixo impacto ambiental
  • Redução, tratamento e reuso dos resíduos da construção e operação.

——————————–
Por Mônica Fischer
Arquiteta e Paisagista
Pós graduada em Construções Sustentáveis
Consultora GBC Brasil®
Técnica em edificações
adm@arquilog.com.br
(21) 99159-7817

(Parte do material utilizado neste artigo foi retirado do trabalho de Conclusão do MBA de Construções Sustentáveis da autora.)

Fonte de consulta:
U. S. GREEN BUILDING COUNCIL. USGBC. LEED, 2015. Disponivel em: http://www.usgbc.org/leed .>. Acesso em: 02 mar. 2015.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *