Arquivo da categoria: Sustentabilidade

1° Congresso Nacional de Eficiência em Edifícios

Começa hoje o ​1° Congresso Nacional de Eficiência em Edifícios, congresso online e gratuito que tem como objetivo elevar a eficiência das etapas de projeto e construção, desde os estudos iniciais de viabilidade até a conclusão dos Edifícios.

Serão ao todo 27 palestras oferecidas por profissionais renomados, tanto nacionais, quanto internacionais, entre os dias 23 e 29 de fevereiro.

As palestras de hoje são:

23 fev. 11:00- Cerimônia de Abertura do CONEFEC

23 fev. 15:00- Ricardo Grassia – Como Atingir a Eficiência Projetual e Construtiva Através de Soluções Integradas de Engenharia
Gerenciamento de projetos

23 fev. 17:00- Peter Krebs (EUA) – Conquistando Sustentabilidade com Praticidade pela Computação na Nuvem
Análise energética por meio do software Sefaira

23 fev. 20:00- Fausto Sabino – Como Gerar Eficiência por meio da Produtividade no Canteiro de Obras
Produtividade no Canteiro de Obras

Inscreva-se e acompanhe as palestras através do site http://www.conefec.com.br/ e https://calendar.google.com/calendar/embed?src=conefec.com.br_e6mb8fhobh5626uq1pjrmi8b94%40group.calendar.google.com&ctz=America/Sao_Paulo

ProjetEEE

Edificações eficientes necessitam de estratégias bioclimáticas de baixo consumo energético e alto conforto térmico para o usuário. Uma ferramente criada pela UFSC, o ProjetEEE, apresenta dados climáticos e estratégias bioclimáticas mais adequadas a edificações residenciais, para mais de 400 cidades brasileiras, auxiliando a concepção do projeto arquitetônico em sua fase inicial.

A ferramenta permite:

  • identificar as características climáticas na cidade do projeto,
  • avaliar as estratégias bioclimáticas mais apropriadas à edificação,
  • projetar edificações mais eficientes,
  • obter um melhor conforto térmico interno para o usuário,
  • identificar a correta aplicação das diferentes estratégias bioclimáticas,
  • conhecer os componentes construtivos mais apropriados para sua edificação.

Para acessar a ferramente, visite www.projeteee.ufsc.br ou www.p3e.ufsc.br

Digite o nome da cidade do projeto no campo central da página:

projeteee-01

Continue lendo ProjetEEE

Primeira residência certificada LEED For Homes do Brasil

leed-homesPude presenciar a entrega dessa primeira certificação LEED Homes do Brasil, na Expo Arquitetura  Sustentável.

A certificação foi alcançada em uma residência em Campinas, interior do estado de São Paulo, que foi projetada pela arquiteta Teresa d’Ávila e construída por LCP Engenharia & Construções.

Para certificar uma residência pelo LEED Homes é necessário cumprir 18 pré-requisitos, dentre eles:
– Implantar um plano de prevenção da poluição oriundas das atividades da construção;

Continue lendo Primeira residência certificada LEED For Homes do Brasil

Sustentabilidade na prática na Expo Arquitetura

Acaba de acontecer a Expo Arquitetura Sustentável em São Paulo. Foram 3 dias de palestras e feira expondo as novas tecnologias disponíveis para projetos e obras sustentáveis. Eu estive por lá durantes os 3 dias e voltei ainda mais apaixonada por arquitetura. É muito legal ver a quantidade de profissionais que agregaram os valores da sustentabilidade de forma definitiva em seus trabalhos. É um caminho que não tem mais volta! E é um caminho muito bonito que valoriza a natureza, as pessoas e o investimento financeiro que fazemos no projeto e na obra.

Dentre outros, um estande me chamou muita atenção por colocar em prática várias premissas sustentáveis e chamar a atenção especial para elas. O estande foi projetado pela arquiteta paisagista Daniela Sedo. Não tenho o objetivo de fazer propaganda para nenhuma empresa, vou apenas mostrar o que me chamou atenção no projeto do estande da Daniela:

Visão geral do estande projetado por Daniela Sedo:

expo-arq-01-1

Logo na entrada um adesivo nos chama atenção para o uso de materiais nobres por um curto período de tempo. Esses materiais às vezes adaptados a medidas de um projeto não pode ser reaproveitado em outro:

expo-arq-02-1

Continue lendo Sustentabilidade na prática na Expo Arquitetura

Download: Qualidade e sustentabilidade do ambiente construído: legislação, gestão pública e projetos

A Edições Câmara lançou o livro Qualidade e Sustentabilidade do Ambiente Construído: Legislação, Gestão Pública e Projetos. A publicação é organizada por Fabiano José Arcadio Sobreira, Roseli Senna Ganem e Suely Mara Vaz Guimarães de Araújo e reúne artigos agrupados em dois grandes temas: (1) Legislação Urbana e Ambiental e (2) Qualidade da Arquitetura e dos Espaços Públicos, com enfoque nos concursos de projeto.

Artigo :: Procel Info :: Prédios projetados em meados do século XX garantiam economia de energia

folhaTrecho do artigo publicado no site do Procel Info em 14/04/2014 com o título “Prédios projetados em meados do século XX garantiam economia de energia”:

“Áreas centrais que muitas vezes guardam pedaços importantes de nossa história, como os centros do Rio e de São Luiz, no Maranhão, passaram por um processo de abandono que afastou a população desses locais. A melhor cidade é a que tem misto de usos em todos os bairros.”

Leia completo em http://www.procelinfo.com.br/main.asp?ViewID=%7BF5EAADD6-CCB0-4E29-A0C4-482D3D66BB65%7D&params=itemID=%7B99F3596B-A8C8-41B9-A1A2-094FA40C54F3%7D;&UIPartUID=%7BD90F22DB-05D4-4644-A8F2-FAD4803C8898%7D

Artigo do site Procel Info: Eficiência Luminosa e Energética

Como esse assunto é muito interessante e urgente, publico um resumo de um excelente artigo do site Procel Info sobre Eficiência Luminosa e Energética. No fim do resumo está o link para o artigo completo.

Eficiência (ou rendimento) luminosa é um parâmetro que indica quão eficientemente uma fonte luminosa converte a energia que recebe (por exemplo, energia elétrica) em luz. Ela relaciona o fluxo luminoso (em lúmens) emitido pela fonte em relação à potência despendida para alimentá-la (normalmente medida em watts).
Alguns dos fatores que determinarão o quanto determinado ponto será iluminado são:
– o formato da lâmpada (…)
– o tipo de luminária (…)
– (…) a tecnologia utilizada na confecção das lâmpadas.

Para a iluminação doméstica e corporativa há essencialmente três tipos delas:
– a tradicional incandescente (cuja produção vai sendo gradativamente proibida mundo afora)
– as fluorescentes de geração mais moderna (compactas e as tubulares T5)
– as lâmpadas a LED

E eficiência luminosa de uma lâmpadas baseadas em LED chega a três ou quatro vezes a da lâmpada fluorescente e sua vida útil também é bem maior. (…) O custo inicial ainda é elevado mas tem caído conforme se massifica a produção

(…)Embora o retorno sobre investimento em residências não seja algo tão simples de se calcular(…), há um ganho perceptível pelo fato de que as lâmpadas a LED não provocam aquecimento do ambiente de maneira tão intensa quanto as lâmpadas incandescentes ou fluorescentes, pois o calor produzido pelo LED não está na luz emitida, mas apenas no corpo da lâmpada. E menor aquecimento do ambiente reflete-se também em maior eficiência energética.

Leia completo em http://www.procelinfo.com.br/main.asp?ViewID=%7BF5EAADD6-CCB0-4E29-A0C4-482D3D66BB65%7D&params=itemID=%7BB4C87E7B-2FC6-44A1-8615-B6F06690B8BA%7D;&UIPartUID=%7BD90F22DB-05D4-4644-A8F2-FAD4803C8898%7D

Nova usina solar nos Estados Unidos tem capacidade para abastecer 140 mil casas

usinasolarComeça a operar a maior usina solar do mundo, com 300.000 placas e investimento total de 1.6 bilhão de dólares. O empreendimento terá capacidade de gerar 392 megawatts de energia e alimentará 140 mil casas. Com isso, uma redução de 400 mil toneladas métricas nas emissões de CO2 é esperada por ano e segundo o governo americano o investimento está previsto para ser totalmente pago em 30 anos.

A usina pertence às empresas NRG Energy, BrightSource Energy e Google e está localizada em uma área de 13 km². As placas possuem 2 m de altura e 3 m de largura. A capacidade do complexo é quatro vezes maior do que a usina de Shams 1, nos Emirados Árabes, que era a maior do mundo.

Leia mais em Com 300.000 placas, começa a operar a maior usina solar do mundo | Infraestrutura Urbana.

Dia da Árvore

arvoreOntem foi o dia da árvore e eu estava pesquisando algum projeto interessante sobre reflorestamento aqui no Rio de Janeiro que pudesse dar um bom significado ao dia. Achei no site da Secretaria de Estado do Ambiente (SEA), no menu lateral um link para o Contador de Árvores da Mata Atlântica.

Esse contador é um projeto da Secretaria que mobiliza parcerias, incentiva ações de reflorestamento, monitora, contabiliza e divulga o número total de mudas de árvores comprovadamente plantadas, para que seja cumprido o compromisso olímpico – dos governos federal, estadual e municipal do Rio – de plantar, em princípio, 24 milhões de mudas para compensar as emissões de gases-estufa durante os jogos de 2016, ou seja, um projeto legal. (em http://www.rj.gov.br/web/sea/exibeconteudo?article-id=164540)

Aí descobri no site do Instituto Estadual do Ambiente, que na última sexta-feira, dia 20 de setembro, foi inaugurado um painel eletrônico no Jardim Botânico do Rio de Janeiro para a população acompanhar a evolução do plantio dessas mudas. Esse painel funciona em paralelo a site interativo. Dados como os responsáveis pelo plantio, as mudas de Mata Atlântica, o município e a dimensão da área florestada estão agora disponibilizados de forma transparente.

Além de compensar as emissões de gases-estufa a serem produzidas durante as Olimpíadas do Rio, as áreas reflorestadas conectarão fragmentos de Mata Atlântica em vários pontos do estado, reforçando assim a biodiversidade fluminense.

Segundo o secretário estadual do Ambiente, Carlos Minc, que participou da cerimônia, em dez anos, o Estado do Rio passou de maior desmatador da Mata Atlântica para o estado com desmatamento praticamente zero e com ações de plantio 20 vezes maiores. O objetivo da secretaria é dobrar a área de Mata Atlântica aqui no estado.

Desde a criação do programa Contador de Árvores, em 2009, já foram plantadas 5,5 milhões de mudas de árvores na Mata Atlântica no Rio de Janeiro, por empresas, ONGs e sociedade civil. (em http://www.inea.rj.gov.br/noticias/noticia_dinamica1.asp?id_noticia=2408)

A ONG SOS Mata Atlântica também tem projeto de plantio de mudas, como o Clickarvore (em http://www.sosma.org.br/projeto/clickarvore/) e o Programa Florestas do Futuro (em http://www.sosma.org.br/projeto/florestas-futuro/o-que-e/). Esses projetos abrangem diversos estados. E existem outros tantos projetos como esses.

Bom, estamos recuperando a Mata Atlântica! E essa é uma excelente notícia para o dia da Árvore!

Eu só gostaria de pontuar que as ruas do Rio também carecem de árvores! Existem ruas enormes que contam com quase nenhuma vegetação, intensificando o efeito ilha de calor urbana, ou seja, precisamos urgente de um bom programa de arborização das vias publicas cariocas!

Jardins verticais

Você conhece Patrick Blanc? Ele é um simpático botânico francês apaixonado pela  natureza e que viaja pelo mundo construindo jardins verticais que são verdadeiras obras de arte.

patrick-blanc-forest-bali-march-2013

A intenção dele é trazer de volta a conexão do homem da cidade com a natureza, já que cerca de 3,5 bilhões de pessoas vivem atualmente nas cidades sem nenhum contato com ela. Esses jardins, lembra ele, trazem um monte de benefícios para os municípios, como ar mais limpo, clima mais ameno, aumento da umidade do ar e redução do barulho, já que as plantas são ótimas isolantes acústicas. As especies de plantas são cuidadosamente escolhidas de acordo com as condições do local.

Apenas a cidade de São Paulo, em toda América do Sul, teve a sorte de receber um jardim de Patrick: um grande painel verde no prédio da Fundação Armando Alvares Penteado (FAAP)

patrickblanc-faap-exhibition-cretaceous-spirals-sao-paulo
Jardim Vertical – Fundação Armando Alvares Penteado – São Paulo

No site de Patrick http://www.verticalgardenpatrickblanc.com você encontra mais fotos dos jardins que ele fez espalhados pelo mundo. Aliás assim que você acessa o site, você já se sente num jardim!